Espetáculo da inutilidade




Os óculos escuros
são como vendas da alma.
A tela da TV
ilude os que não tem imaginação.
A música que toca no rádio
transborda insensatez sem linearidade.
Os corpos que desfilam na passarela
são amontoados de células mortas
que exprimem de maneira singela
a fraqueza do espírito humano.

Da escuridão fria do meu quarto
ouço lamentos de corpos famintos .
Da escuridão fria da minha vida
reconheço nas entrelinhas
o desespero das almas perdidas
pelas estradas iluminadas da fé,
pelos caminhos esburacados da falta de fé.

Por isso me pergunto
até o último minuto
atônito e moribundo
se poderia ajudá-los,
mas sei que não,
pois nem posso ajudar a mim,
perdido nas estradas mal iluminadas e esburacadas
fazendo simplesmente nada
para mudar o script
desse triste espetáculo,
de muitos atores famintos
enquanto muito poucos
se alimentam
da miséria alheia.

por Elkson

1 comentários:

  1. JOÃO HENRIQUE disse...:

    POESIA DO MEU COLEGA DE PROFISSÃO

Postar um comentário

 
FANTASCÓPIO CARIRI © 2010 | Designer by Martins WEB DESIGNER